Publicado em: sexta-feira, 23/03/2012

Dólar fecha em leve alta influenciado por notícias do exterior

A moeda americana apresentou uma leve alta no termino da sessão desta quinta-feira. No entanto, diminuiu os ganhos no final da sessão. A novidade de ontem foi a ausência do Banco Central que não interferiu no mercado com a compra de dólares. A leve alta da moeda foi resultado das notícias ruins vindas do exterior. Esse foi o principal motivo da movimentação. O mercado internacional lançou dados que mostraram números negativos da atividade da indústria na China e também nos países da zona do Euro.

Além dos fatores externos, o mercado opera sempre na expectativa de intervenções do Banco Central na compra de dólar. Ontem, por exemplo, a expectativa veio depois de o ministro da Fazenda, Guido Mantega, fazer declarações sobre a economia. A maior dúvida, neste momento, é de quando o governo deve voltar a atuar com os leilões.

Ontem a moeda fechou o dia com 0,09% de aumento, num total de R$ 1,82 para venda. Durante a sessão, o dólar oscilou entre 1,81 e 1,83. Segundo um analista, esse número é resultado da dinâmica externa, pois o dólar se apresentou mais forte. Se comparado com outras moedas teve alta de 0,05%. Diferente do euro, por exemplo, que caiu 0,16%.

China e zona do euro influenciam o dólar

No caso da China, o problema foi a desaceleração do mercado. Os ganhos econômicos diminuíram e a economia não está tão impulsionada. A atividade fabril diminuiu pelo quinto mês em seguida. Com essa desaceleração os investidores ficaram preocupados com os riscos de crescimento. Da mesma forma a zona do euro mostrou uma leve crise em março. Os piores desempenhos na indústria ficaram para a França e Alemanha, segundo dados divulgados ontem. No cenário interno, Mantega afirmou que o governo continuará fazendo intervenções no câmbio e reduzindo os juros para auxiliar os empresários.