Publicado em: sábado, 07/04/2012

Dólar desvaloriza após resultados americanos

O dólar apresentou nova desvalorização ontem. Essa queda na moeda americana é resultado dos dados abaixo da expectativa sobre o mercado de trabalho dos EUA. O dólar chegou ontem ao menor nível dos últimos meses ante o iene. Com essa nova queda, elevam-se as dúvidas sobre a possível recuperação do mercado americano. Ontem à tarde, em Nova York, o euro era cotado a US$ 1,308. Na quinta feira o euro valia US$ 1,306. Em relação ao iene, a moeda americana foi cotada a 81,66 ienes, sendo que no dia anterior era avaliada em 82,20. O dólar também se desvalorizou em relação ao franco suíço que ontem chegava a 0,916 franco suíço ante 0,919 do dia anterior.

Essa semana, em função do feriado de Páscoa, o volume de transações diminuiu consideravelmente nos mercados. Em paralelo a esse feriado, contribuíram para o mau desempenho do dólar, os dados sobre o desemprego nos Estados Unidos. Durante o mês de março foram somente 120 mil empregos no país, no entanto a previsão dos analistas era de um aumento próximo a 203 mil.

Desde novembro do ano passado que a quantidade de postos de trabalho não fica abaixo de 200 mil. Esse número é o considerado ideal pelos economistas, no entanto ele ficou abaixo do normal para o mês de março. Em função disso, a moeda desvalorizou por voltarem os rumores de uma demora na recuperação do país frente à economia mundial.

Com essa baixa na quantidade de emprego, acredita-se que o Federal Reserve deva lançar uma nova onda de afrouxamento quantitativo. Os analistas avaliam que esse dado indica a cautela do presidente do banco central americano. Segundo Ben Bernanke, a recuperação do mercado de trabalho se dará aos poucos. Segundo Nick Bennenbroek, diretor de estratégia cambial do Wells Fargo, esse resultado vai ao encontro dos comentários feitos pelo presidente, a respeito de que se deve esperar para ver o ritmo de recuperação do mercado. Nesse mesmo caminho estão os mercados europeus que apresentam dúvidas sobre a recuperação da Espanha, Itália e, principalmente, da Grécia.