Publicado em: sábado, 20/08/2011

Doenças crônicas representam 72% das mortes no Brasil

Durante o Fórum Nacional de Ratificação dos Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas não Transmissíveis, realizado nesta quinta e sexta-feira (19), foi divulgado que os óbitos causados pelas doenças crônicas representam 72% da totalidade de mortes por ano.

Para tentar reverter estes números, o ministro da Saúde Alexandre Padilha, apresentou o Plano de Ações para o Enfretamento de Doenças Crônicas não transmissíveis. Com um plano destinado especificamente para o combate a essas doenças, a meta é que por ano o índice diminua pelo menos 2%.

As principais doenças que causam esses óbitos são os diversos tipos de diabetes, doenças cardiovasculares, hepatites e câncer. Segundo dados do Ministério da Saúde, as mortes prematuras (vítimas com ate 70 anos) atingem a 255 pessoas em um grupo de 100 mil habitantes. Nos próximos anos, os planos do Ministério pretendem reduzir o numero a 196 pessoas.

O ministro da Saúde informou que o plano ainda não tem um orçamento próprios, já que foi criado com a união de programas que já existiam no país. “Desde abril, reuniões foram feitas com diversos setores da sociedade para debater propostas para o plano”, comentou Padilha. Com o plano, o acesso a medicamentos, terapia, e atividades físicas deve ser ampliados como uma maneira de fazer a redução de alguns fatores de risco nas doenças crônicas.