Publicado em: sábado, 15/03/2014

Documentário uruguaio relembra Copa de 1950

Documentário uruguaio relembra Copa de 1950Na última quarta-feira, 12 de março, o documentário Maracaná, de Andrés Varela e Sebastián Bednarik, foi exibido pela primeira vez no Uruguai. O palco para a exibição não poderia ser mais adequado: o tradicional Estádio Centenário, de Montevidéu, que recebeu dez mil espectadores para acompanhar o documentário de 75 minutos.

O filme se baseia no livro “Maracaná: La Historia Secreta”, escrito por Atilio Garrido. O grande destaque da produção foi o intenso trabalho de pesquisa da equipe de produção, que trouxe aos espectadores imagens nunca antes vistas sobre o Mundial de 1950. Muitas destas imagens passaram por um longo processo de restauração, sendo apresentadas no documentário em alta definição.

Além do futebol

Embora tenha a final da Copa do Mundo de 1950 como tema principal, Maracaná é, antes de qualquer coisa, a história de duas sociedades em momentos históricos distintos. A Seleção Brasileira, muito superior tecnicamente, vivia a pressão política pela vitória.

Embora trate do maior triunfo na história do futebol uruguaio, o filme não pretende contar a história a partir da ótica dos vencedores, dedicando também muito espaço para os brasileiros. Por isso, os produtores do filme acreditam que Maracaná será muito bem recebido também no Brasil.

Pesquisa

Mais de sessenta anos após o Mundial de 1950 e o “Maracanazo”, ainda é difícil encontrar muitas imagens sobre o período. As poucas até então disponíveis costumam ser repetidas à exaustão em reportagens sobre a época. No caso do documentário Maracaná, a situação é completamente diferente.

Durante o período de buscas por imagens inéditas, os produtores do filme estiveram no Brasil e na Europa, além de fazer uma intensa pesquisa na Cinemateca do Uruguai. Ao todo, Maracaná contou com imagens vindas de 27 fontes diferentes, muitas delas colecionadores privados de países como Espanha, Alemanha e Itália.

Dentre as imagens, é possível acompanhar as concentrações das duas equipes, com almoços, conversas e muito mais. Mas um dos resgates mais relevantes para a história do Maracanazo foi um vídeo raro que traz 70 minutos da final entre Brasil e Uruguai. Para o diretor Andrés Varela, entretanto, uma das imagens mais marcantes foi o discurso de Mendes de Morais, então prefeito do Rio de Janeiro. Em uma das imagens resgatadas pelos produtores, Mendes de Morais praticamente ameaça a Seleção Brasileira, afirmando ter cumprido sua palavra ao construir o Maracanã e, em contrapartida, exigindo que os jogadores brasileiros cumprissem seu dever de vencer a Copa do Mundo.

Um dos personagens-chave da produção é o capitão uruguaio Obdulio Varela, uma das grandes inspirações da equipe. Pouco antes do Mundial, Obdulio foi o líder de uma greve de operários no Uruguai.

Novo Maracanazo

Apesar de ter dirigido um filme sobre o triunfo uruguaio na Copa de 1950, Andrés Varela não acredita que a história possa se repetir em 2014. Para o diretor, o que aconteceu naquele dia foi algo único na história. Hoje, ambos os países vivem uma situação completamente diferente.

Para Varela, quando seus compatriotas mencionam o “Fantasma de 1950” (os uruguaios chegaram, inclusive, a fazer publicidades relacionadas ao assunto), o tom é muito mais humorístico.