Publicado em: segunda-feira, 16/04/2012

Discussão sobre uso de drogas ilícitas será feita em evento promovido por alunos da USP

Entre hoje (16) e sexta-feira (20) estudantes da USP, Universidade de São Paulo, estão promovendo uma atividade nomeada Semana da Barba, Bigode e Baseado. São cinco dias em que devem ser discutidos o uso e a proibição de drogas ilícitas dentro do campus Butantã, localizado na zona oeste de São Paulo. Na programação está agendada uma “noite do fumo”, que para efeitos jurídicos será realizado apenas com orégano, uma “substância lícita”. O convite para participação no evento está sendo feito pelas redes sociais.

Um dos organizadores, Caio Andreucci, explica que a atividade também contará com um caráter libertário e que a proposta surgiu durante a realização da Frente Uspiana de Mobilização Antiproibicionista, a Fuma. O grupo iniciou no final de 2011, durante os protestos relacionados com a permanência da polícia militar, resultando na invasão do prédio da reitoria.

De acordo com o organizador, grande parte dos participantes é integrante da FFLCH, a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, mas alunos do curso de Direito também deverão marcar presença. Ao longo do dia de hoje serão repassados documentários sobre drogas e mulheres envolvidas no tráfico.

As exibições ocorrerão no Espaço Verde, uma sala da Faculdade, a partir das 20 horas. Amanhã, será o momento do fumo lícito, definido pelo regulamento da atividade. Na página da rede social, os alunos postaram mensagens afirmando que droga não é coisa demoníaca, afirmando estar em pauta o direito à autonomia sobre o corpo de cada um, juntamente com a liberdade de escolha.

Programação

Uma das surpresas da atividade programada é a existência de professores como palestrantes da semana, como divulga a página no Facebook. Apesar das mensagens de motivação, Caio deixou claro que não serão oferecidas drogas no momento da atividade, lembrando que eles não podem controlar, mas não estarão incitando o uso.

No dia das últimas discussões, agendado para sexta feira, acontecerá na faculdade uma cervejada. O valor que for arrecadado com a venda das bebidas será revertido para o movimento de defesa da legalização da maconha no país, a Marcha da Maconha.

A reitoria da USP, através da assessoria de imprensa, afirmou que não irá se manifestar a respeito do evento. No último mês, a Guarda Universitária da USP foi assumida pelo coronel da reserva Luiz de Castro Junior.