Publicado em: quarta-feira, 03/04/2013

Diretora do canal GNT morre após atropelamento

Diretora do canal GNT morre após atropelamentoGisela Matta, diretora da programação do canal fechado GNT morreu na manhã de segunda-feira (1) após não resistir aos ferimentos causados por um acidente que sofreu enquanto andava de bicicleta.

Ela passeava no bairro Leblon no domingo (31) quando um ônibus decidiu virar da Avenida General San Martin para Avenida Bartolomeu Mitre. O motorista relatou que só percebeu o acidente ao ouvir um barulho enquanto fazia a curva. Ele prestou socorro à vítima no local e será indiciado por homicídio culposo, o qual não há intenção de matar.

Gisela foi internada no Hospital Municipal Miguel Couto, no Rio de Janeiro, mas acabou não resistindo aos graves ferimentos sofridos no acidente.

Trabalhos profissionais

Além de estar à frente da programação do Canal GNT, Gisela Matta dirigiu nos últimos cinco anos o programa Lugar Incomum, transmitido pela Multishow. Ela também codirigiu alguns episódios do Amor e Sexo, da Rede Globo.

Matta também colaborou com a direção do DVD da cantora baiana Ivete Sangalo, gravado no Madison Square, em Nova York. Gisela estava em meio à gravações do programa Tempero de Família, apresentada por Rodrigo Hilbert que tem data de estreia prevista para quinta-feira (4), no canal GNT, às 20h.

A Assessoria de Imprensa do GNT emitiu nota de pesar lamentando a morte da funcionária prestando também apoio e solidariedade à família de Gisela.

Acidentes com bicicleta

Acidentes de trânsito envolvendo ciclistas estão acontecendo com maior frequência e vem chamando a atenção da sociedade. Em São Paulo, no último dia de 10 de março, David dos Santos de Souza pedalava pela Avenida Paulista quando foi atropelado por um carro que invadiu a faixa preferencial para ciclistas. David teve o braço amputado no choque e o motorista do carro fugiu sem prestar socorro. Ao perceber que o braço da vítima ficou preso no carro, decidiu jogá-lo em um rio próximo.

Em janeiro de 2011, um executivo da Lorenzetti se dirigia ao trabalho de bicicleta na Avenida Sumaré, também em São Paulo, quando foi atropelado por um ônibus. Antonio Bertolucci, de 68 anos, morreu na hora.