Publicado em: segunda-feira, 22/08/2011

Diretor do CNT, e ex-ministro de Kadafi, fala em renúncia como protesto a atos de vingança dos rebeldes

No mesmo dia em que os rebeldes líbios conseguiram avançar sobre a capital do país, Trípoli, o diretor do Conselho Nacional de Transição, Mustafah Abdeljalil, falou sobre a possibilidade de renunciar ao cargo. Em pronunciamento realizado nesta segunda-feira (22), Abdeljalil afirmou que alguns dos rebeldes vem agindo de maneira que contrariam a intenção inicial das manifestações para tirar o ditador Muammar Kadafi do poder. Com isso, a sua renúncia seria a sua maneira de protestar contra tais atitudes.

Em seu pronunciamento, Abdeljalil afirmou “saúdo a ação dos líderes revolucionários, tenho confiança na palavra deles, mas certos atos de alguns de seus homens me preocupam. Meu temor responde atualmente a certas ações fora da lei, executadas fora das ordens dos líderes dos revolucionários, em particular atos de vingança.” Além disso, na mesma ocasião o diretor do CNT declarou que isso pode ser “a razão ou a causa” da sua renúncia.

Antes de se tornar diretor do CNT, Abdeljali atuava ao lado de Kadafi como seu ministro da Justiça, mas abandonou o governo no dia 15 de fevereiro, quando as manifestações já haviam começado. Por conta dessa transição de “lados”, Abdeljalil enfrentou críticas dos próprios rebeldes que duvidavam da sua lealdade ao CNT.

O ex-ministro do governo Kadafi concedeu uma coletiva de imprensa na cidade de Benghazi, local escolhido para ser a capital dos rebeldes. Ao invadirem Trípoli, rebeldes e moradores da cidade comemoraram na principal praça do local e hastearam a bandeira produzida para ser a nova marca do país quando os rebeldes destituírem Kadafi.