Publicado em: quarta-feira, 28/09/2011

Diretor de instituto francês defende homenagem a Lula perante jornalistas brasileiros

O ex-presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, recebeu nesta terça-feira (27) o título de doutor honoris causa pelo Instituto de Estudos Políticos de Paris – o Sciences-po. Ao mesmo tempo em que a homenagem representa a primeira vez que um latino-americano recebeu tal reconhecimento, os jornalistas brasileiros se empenharam em tentar contradizer o diretor do instituto, Richard Descoings, durante uma coletiva de imprensa. Antes de receber o título, Lula conseguiu ouvir os franceses cantando “Pra não dizer que não falei das flores”, de Geraldo Vandré.

Quando Lula tentou discursar para agradecer pela homenagem que recebeu, o ex-presidente mal conseguiu falar por conta dos aplausos da plateia e das ovações. A maioria era composta por estudantes universitários. A lotação da sala de cerimônia era de 500 pessoas, mas alguns estudantes chegaram a ficar do lado de fora para acompanharem o evento.

Durante a coletiva, os jornalistas brasileiros questionaram Descoings quanto a escolha pelo ex-presidente brasileiro para receber tal título. Parte das perguntas feitas pelos brasileiros ressaltavam que ele havia sido um político que “apoiava a corrupção” e que “chamava Khadafi de irmão”. Enquanto isso, os jornalistas europeus demonstravam reconhecimento pela escolha que homenageou Lula.

Em resposta, Descoings defendeu que Lula foi uma personalidade que trabalhou com as favelas brasileiras e que garantiu o crescimento do Brasil tanto no cenário político e econômico nacional, quanto na representação internacional. Para Descoings, a instituição não tem o papel de julgar a moral de Lula e que ele foi “um homem de ação que modificou o curso do país”.