Publicado em: sexta-feira, 23/03/2012

Dilma tomará medidas para melhorar a competitividade da indústria brasileira

Dilma Rousseff anunciou que vai auxiliar os empresários. Durante uma reunião com 28 representantes do grupo, a presidente disse ontem que deve propor medidas para melhorar a competitividade da indústria brasileira e, consequentemente, auxiliar nos rendimentos que diminuíram em função da crise. Segundo os empresários, a presidente disse que não irá proteger, mas que defenderá a indústria nacional, inclusive melhorando a competitividade no exterior, já que um dos maiores problemas é a presença dos países Asiáticos.

Dilma ouviu as necessidades e sugestões dos industriais e, em seguida, pediu ao ministro da Fazenda, Guido Mantega, para fazer um planejamento de ações que podem ser feitas pelo governo. Os empresários disseram que esperam as medidas até final de março. Esse é o momento que Dilma também voltará da reunião dos Brics, que acontece em Nova Déli, na Índia. Entre as principais medidas está a desoneração da folha de pagamento, pois uma das reclamações dos empresários é que com a valorização do real há uma invasão de produtos importados no país, dificultando a concorrência.

Segundo Paulo Skaf, presidente da Federação da Indústria de São Paulo, a presidente disse ao ministro que elabore ações para melhorar a competitividade dos produtos brasileiros. A ministra ressaltou que assim que chegar da sua viagem vai anunciar as novas medidas do governo para auxiliar a economia das indústrias. Luiza Helena Trajano, presidente do Magazine Luiza, ressaltou a idéia de Dilma de defender o setor e não protegê-lo, pois é uma questão de defender.

Na reunião com a presidente Dilma, a dona do Magazine Luiza mostrou o aumento de 25% da venda de produtos depois da redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). Segundo ela, o governo mostrou-se satisfeito com os resultados da ação tomada há quatro meses. Trajano disse que trata-se, inclusive, de uma questão social. Dilma disse ainda, durante a reunião que tem um compromisso com a baixa dos juros.