Publicado em: quinta-feira, 27/06/2013

Dilma se reúne com centrais sindicais e não chega em acordo

Dilma se reúne com centrais sindicais e não chega em acordoUma reunião na tarde de ontem, quarta feira (26), entre a presidente Dilma Rousseff e as duas maiores centrais sindicais acabou em divergência. O encontro com as organizações de trabalhadores foi comanda pela presidente com a Força Sindical e a Central Única dos Trabalhadores, a CUT. A primeira organização saiu insatisfeita do encontro, garantindo que vai manter a paralisação programada para o dia 11 de julho, alegando ainda que a presidente mal teria escutado as reivindicações da Força Sindical.

Já a Centra Única dos Trabalhadores destacou que a proposta do encontro com o governo federal não era tratar de pautas trabalhistas. O integrante da CUT, Vagner Freitas, ponderou que a reunião não pretendia discutir estas questões e achou equivocada o apontamento do presidente da Força Sindical, que declarou ter ficado frustrado com a postura de Dilma Rousseff, que teria deixado a reunião sem encaminhar nenhuma pauta dos trabalhadores.

O representante da CUT ainda lembrou que a reunião foi solicitada para tratar das manifestações populares e sobre o atual momento político que o Brasil vem enfrentando. O encontro teria tratado das manifestações, mas colocando em pauta e trazendo para a consideração do debate os interesses dos trabalhadores brasileiros hoje organizados em entidades como estas duas representativas.

Manoel Dias, o ministro do Trabalho, também reiterou que o encontro não foi programado para tratar da pauta de negociações dos trabalhadores afiliados da Força Sindical e da CUT, era apenas ouvir a posição das centrais de trabalhadores com relação ao momento político atual do Brasil, permeado por manifestações e protestos. Sobre o plebiscito para garantir a reforma política, os representantes das duas centrais sindicais se mostraram favoráveis à medida.