Publicado em: terça-feira, 04/10/2011

Dilma Rousseff diz que Brasil pode ajudar UE a sair da crise

A presidente Dilma Rousseff afirmou que a União Europeia (UE) pode contar com o Brasil para buscar uma saída para a crise financeira. A declaração foi dada nesta terça-feira (4), em entrevista coletiva ao lado do presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, e do presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso. Dilma também explicou aos países europeus que aumentar o controle no rigor de gastos equivale a mais desemprego e desigualdade social, segundo experiência própria.

Em pronunciamento no segundo dia da V Reunião de Cúpula UE-Brasil, a presidente afirmou que quando o mecanismo foi criado, em 2007, havia a certeza de que União Europeia e Brasil deveriam projetar uma visão comum para o mundo e que diante da situação econômica atual, esta associação se faz ainda mais urgente.

Dilma acrescentou ainda que todo o mundo vê com preocupação a situação dos países desenvolvidos. Ela afirmou que, em 2008, a ação conjunta dos países membros do G20 conseguiu evitar o colapso e a recessão, mas que não houve medidas para retomar o crescimento sustentável. A presidente diz que o atual cenário é a segunda fase da crise, com um novo momento recessivo, com aumento do índice de desemprego.

A presidente também afirmou que o Brasil sabe, por experiência própria, que apenas o estímulo ao crescimento econômico pode ajudar a conseguir recursos para pagar as dívidas e equilibrar as finanças públicas. Dilma completou dizendo que a região brasileira é hoje uma das que mais cresce no mundo, após anos sendo considerada sinônimo de crise.