Publicado em: quinta-feira, 09/02/2012

Dilma Rousseff critica violência usada por policias em greve na Bahia

Nesta quinta-feira (9), a presidente Dilma Rousseff fez críticas aos métodos violentos usados pelos PMs que estão em greve na Bahia, e afirmou que não haverá anistia aos policias que forem acusados de vandalismo.

Dilma disse que ninguém pode ser preso por reivindicar, mas os atos ilícitos e crimes contra a ordem pública pelos quais alguns policiais foram acusados impedem que os responsáveis possam ser anistiados.

Ela afirmou que não considera os atos feitos pelos PMs como a maneira certa de fazer as reivindicações, como as queimas de ônibus e o elevado número de homicídios que vem acontecendo nas ruas. A manifestação da presidente acontece um dia depois de emissoras de televisão mostrarem gravações de conversas em que o principal líder dos grevistas, Marcos Prisco, ordena, com outro policial, a queima de dois caminhões para que uma das principais estradas da Bahia fosse bloqueada.

A presidente declarou que ficou impressionada ao perceber, nas gravações, que existem outros interesses na greve, que completa dez dias nesta quinta-feira. Nos trechos divulgados pelos veículos da imprensa, os PMs pretendem aumentar a greve para outros estados, a começar pelo Rio de Janeiro. Nas conversas, os policiais falaram até sobre a possibilidade de não haver carnaval nos estados atingidos.

Os mil militares que ficaram em volta da Assembleia Legislativa desde domingo (5) permitiram que 245 policiais saíssem pacificamente e fossem para outros locais de concentração, e só prenderam dois líderes, entre eles Prisco. Foram expedidas ordens de prisão contra ele sob acusação de coordenar os atos de vandalismo na Bahia.