Publicado em: sexta-feira, 27/07/2012

Dilma Rousseff ameaça suspender redução de IPI para carros

Dilma Rousseff ameaça suspender redução de IPI para carrosNa tentativa de evitar as demissões nas indústrias de automóveis, a presidente Dilma Rousseff ameaçou suspender a redução do IPI para automóveis, que está valendo desde o mês de maio e estava prevista para ser encerrada somente no final de agosto.

O governo federal fez a declaração depois que o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, no estado de São Paulo, pediu a intervenção para que as demissões fossem evitadas. De acordo com os sindicalistas, a GM pretende fechar a unidade de São José e que 2.000 postos de trabalho sejam extintos. A presidente disse que só aceitaria o fechamento da unidade caso a empresa criasse o mesmo número de vagas em outra fábrica da montadora.

De acordo com o governo federal, se a GM diminuir o número de postos de trabalho em suas fábricas, a redução de IPI, que funciona como um incentivo para a venda de automóveis, será suspensa para todos os veículos. E a presidente não está brincando, já que nessa semana já proibiu a venda de novas linhas de telefonia móvel com o objetivo de que as operadoras melhores os serviços oferecidos aos consumidores.

A redução do IPI foi dada depois que Anfavea, que é a associação dos fabricantes de veículos, pediu que o incentivo fosse dado para que as vendas aumentassem e que assim os estoques de automóveis diminuíssem. No entanto, uma das condições solicitadas pelo governo era de que os postos de trabalho fossem mantidos.

Para muitos, a suspensão na redução do IPI seria uma medida muito drástica e esperam que o governo entre em um acordo com as montadoras. A GM e a Anfavea deverão se reunir com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, para dar explicações sobre o assunto na próxima terça-feira, 31 de julho.