Publicado em: quinta-feira, 21/07/2011

Dilma pretende continuar com ‘faxina’ independente da posição do PR

Com o afastamento de mais três funcionários vinculados ao Ministério dos Transportes, que foi anunciado ontem (20) no Diário Oficial da União, o desgaste da relação entre a presidente Dilma Housseff e o PR, partido aliado ao governo que tinha maior número de representantes nesta pasta, tem crescido cada dia mais. Porém, mesmo com a insatisfação dos companheiros do PR, a presidente garante que vai manter a linha dura na “faxina” que vem realizando no Ministério dos Transportes.

Em entrevista concedida ontem à imprensa, o líder do PR na Câmara, Lincoln Portela, demonstrou claramente seu descontentamento com as atitudes contra representantes do partido no governo. À agência de notícias Reuters, Portela declarou que “lamento essa atitude de mandar gente embora do ministério a conta-gotas. O ministro deve fazer um exame minucioso, não tendencioso dos seus quadros.”

A situação desagradável entre a presidente e o PR se agravou quando ela decidiu substituir o então ministro dos transportes, Alfredo Nascimento (PR), por Paulo Sérgio Passos (PR), sem levar em consideração outros nomes que haviam sido indicados pela legenda. Ainda assim, Nascimento saiu do cargo após entregar sua demissão em caráter “irrevogável”, pois Dilma pediu que ele continuasse no cargo para conduzir as investigações a respeito das acusações.

Por outro lado, analistas políticos avaliam que Dilma tem conduzido a crise dos Transportes de maneira positiva, quando se pensa na imagem que ela passa para o público. Desse modo ela não vai contra a opinião pública, que exige a resoluções de medidas efetivas para sanar as denúncias de corrupção.