Publicado em: sábado, 10/12/2011

Dilma pede que Pimentel resista às acusações sobre consultoria

A presidente Dilma Rousseff (PT) teria orientado o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Fernando Pimentel, a resistir às acusações que vem sendo feitas contra a sua atuação enquanto representante em cargo público. O ministro foi acusado de favorecer empresas ao prestar serviços de consultoria com a sua própria companhia, a P-21, entre 2009 e 2010, quando teria lucrado R$ 2 milhões.

A presidente teria lembrado o ministro que ela mesma foi alvo de acusações enquanto ocupava a pasta da Casa Civil, sendo que Dilma foi acusada de envolvimento na montagem de um dossiê sobre gastos do governo tucano de FHC. Na época, Dilma negou envolvimento no caso e permaneceu firme no cargo. Por isso, a presidente teria orientado o ministro a agüentar as acusações até que o pior da pressão passe. No caso, Pimentel é acusado de ter favorecido as empresas quando tinha deixado a prefeitura de Belo Horizonte, em 2008.

O principal argumento do ministro é que ele não ocupava nenhum cargo público enquanto prestou consultoria às empresas e nenhum contrato foi firmado com órgãos públicos. Além disso, Pimentel garante que tem todas as notas fiscais e que o valor líquido é de R$1,3 mil, descontadas as despesas.

Em um texto publicado no seu site oficial, Pimentel diz que “é preciso cautela para que o jogo político não termine por contaminar o livre exercício de um direito. Para que esse direito não seja usado para atingir biografias respeitáveis”. O governo Dilma vem sofrendo uma série de denúncias contra os atuais ministros.