Publicado em: terça-feira, 15/01/2013

Dilma pede para prefeitos de SP e Rio congelarem tarifas de ônibus para que inflação seja contida

Dilma pede para prefeitos de SP e Rio congelarem tarifas de ônibus para que inflação seja contidaCom o temor que a inflação oficial (IPCA) chegue a bater 1% no mês de janeiro e alimente as demais expectativas para 2013, o governo decidiu entrar em contato com os prefeitos das duas maiores cidades do país para pedir que reajustes de tarifas de ônibus fossem adiados.

Se as duas capitais aumentassem o preço da passagem, a taxa que estava prevista para 0,80%, iria superar 1% e, em 12 meses, iria ficar muito próxima de 6,5%, o que iria trazer receio para o mercado.

A prefeitura da maior cidade do país afirmou que este assunto foi tratado junto ao governo federal, com o prefeito Fernando Haddad (PT) tendo falado diretamente com a presidente Dilma Rousseff. Já no Rio de Janeiro, o prefeito Eduardo Paes (PMDB), afirma que o pedido veio através de Guido Mantega, ministro da Fazenda.

O valor da tarifa em São Paulo é de R$ 3 há dois anos. Desde este período, o IPCA que é índice utilizado para a correção, tem alta acumulada de 11,84%. Caso o valor fosse aplicado de maneira integral na tarifa, o novo valor da passagem seria de R$ 3,36. Haddad afirma que a tarifa só vai ser corrigida no mês de maio ou junho. O valor não teve sua definição, porém não deve ser superior ao acumulado na inflação.

O Orçamento para a prefeitura paulistana em 2013 vai prever R$ 660 milhões em subsídios, porém Haddad diz que este valor não vai ser suficiente. O petista vai ter que gastar pelo menos R$ 150 milhões além do valor apontado e o subsídio no ano de 2013 pode chegar a ser ainda maior do que o recorde do ano passado, quando houve R$ 960,7 milhões em subsídios.

Fora o congelamento do valor da passagem, Haddad ainda vai ter que bancar a criação de um Bilhete Único Mensal, que prometeu durante a campanha. Isto terá um custo de aproximadamente R$ 400 milhões por ano, e o governo já quer este programa durante este ano.