Publicado em: quinta-feira, 20/03/2014

Dilma: número de profissionais no Mais Médicos vai chegar a 13,2 mil até abril

Dilma: número de profissionais no Mais Médicos vai chegar a 13,2 mil até abrilA presidente Dilma Rousseff anunciou nesta quinta-feira (20) que uma nova leva de profissionais da saúde está chegando para atuar no Programa Mais Médicos, que terá um contingente de 13.225 pessoas atuando em todo país até abril. Segundo Dilma, essa quantia é suficiente para atender à demanda dos municípios, apresentada em junho de 2013, quando o programa foi lançado.

Dilma Rousseff destacou que atingir essa marca representa o cumprimento da palavra dada pelo Governo Federal e, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), aumenta a cobertura para 46 milhões de pessoas. O anúncio foi feito no Pará, durante o lançamento de obras de mobilidade urbana, e o estado receberá 537 médicos.

A presidente afirmou que os índices apresentados pela saúde pública após o início do Mais Médicos comprovam a eficiência do programa, e demonstra que a estratégia de “importar” médicos não foi precipitada ou prejudicial, como muitos críticos afirmavam que seria.

Sem ilusão

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, defendeu o Programa Mais Médicos na última quarta-feira (19), em audiência da Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara dos Deputados. Além disso, ele assegurou a legitimidade da contratação de médicos cubanos em parceria com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).

Questionado sobre os problemas recentes com profissionais estrangeiros em relação à remuneração, Chioro lembrou que o valor dos salários pagos aos médicos brasileiros do programa é o mesmo repassado à Opas para cada profissional cubano, R$ 10,4 mil.

Segundo ele, a Opas repassa o dinheiro ao governo de Cuba, que remunera os profissionais com US$ 1.245 (cerca de R$ 3 mil). Esse valor era inferior, e foi atingido recentemente após o governo brasileiro negociar o aumento junto à Organização e ao governo cubano. Ainda de acordo com Chioro, os profissionais estrangeiros não vêm ao Brasil com a ilusão de ficarem ricos.