Publicado em: segunda-feira, 24/03/2014

Dilma exonera Nelson Cerveró do cargo, apontado como responsável pela compra da refinaria

Dilma exonera Nelson Cerveró do cargo, apontado como responsável pela compra da refinariaNessa última sexta-feira (21), a presidente Dilma Rousseff apontou o engenheiro Nestor Cerveró como responsável pelo erro que tanto repercutiu, de aprovar a compra da refinaria de Pasadena, nos EUA, e o exonerou da diretoria financeira da BR distribuidora. A decisão foi tomada em uma reunião do conselho de administração da própria empresa, no qual Dilma é a presidente. Já o presidente da BR, José Lima de Andrade Neto, ficará no cargo até que ele seja reocupado.

Cerveró que estava no posto desde 2008, no momento está de férias, ele saiu, deixando ar de quem estava querendo “fugir” da crise, já que saiu de férias assim que seu nome foi citado. Dilma aponta o engenheiro como quem conduziu a compra de parte da refinaria em 2006. Nesse ano, ele fazia parte da diretoria internacional da Petrobrás e foi o principal culpado pela argumentação que ajudou a influenciar a decisão de fechar o acordo.

Essa compra é investigada pelo Tribunal de Contas da União, Ministério Público do Rio de Janeiro e também pela Polícia Federal, o assunto que está em pauta e o ponto alto da investigação é em relação ao preço pago por 50% da refinaria, o valor pago pela Petrobrás à Astra Oil em 2006 para sua compra, foi de US$360 milhões, um valor que excede ao que a empresa belga havia dado por ela um ano antes.

Desacordo

Além de todo esse valor envolvido, a Petrobras ainda foi obrigada a cobrir os outros 50% da refinaria, pagando por ela US$820 milhões. Isso se deu porque as partes se desentenderam, e no contrato, há uma cláusula chamada de “put option”, que no caso de um desentendimento entre sócios, um deve pagar a parte do outro, o que trouxe conflito e gastos excessivos.