Publicado em: quinta-feira, 21/03/2013

Dilma escolhe hotel e deixa embaixada de lado, comitiva utiliza 52 quartos e 17 carros em visita para o novo Papa

Dilma escolhe hotel e deixa embaixada de lado, comitiva utiliza 52 quartos e 17 carros em visita para o novo PapaA viagem que a presidente Dilma Rousseff fez junto à sua comitiva para acompanhar a missa inaugural do papa Francisco no Vaticano contou com aluguel de 52 quartos de hotel e com 17 veículos.

Dilma foi com quatro ministros, assessores próximos e seguranças e ficaram hospedados no hotel Westin Excelsior, em Via Veneto, que é um dos endereços com maior sofisticação na cidade de Roma, em um total previsto de 30 quartos e um destes virou escritório para a Presidência da República.

A diária de uma suíte presidencial no Westin Excelsior tem o custo de aproximadamente R$ 7.700, já o quarto com menor qualidade custa R$ 910. Outros 22 quartos, que eram para o pessoal de apoio da presidente, estavam em locais próximos.

A presidente deixou de lado a residência oficial da Embaixada do Brasil, que fica instalada em um amplo palacete bem no centro histórico da cidade de Roma que normalmente recebe os mandatários brasileiros. Lá ficou o ex-presidente Lula, no ano de 2005, quando acompanhou o funeral do papa João Paulo 2º. Conforme aponta a assessoria da Presidência, Dilma prefere utilizar hotéis, pois ela afirma que facilita a rotina do seu trabalho. Porém em Roma, o motivo real é que o Brasil está sem embaixador atualmente.

A frota que foi alugada tem a inclusão de sete veículos sedan com motoristas, um carro de luxo e blindado, quatro vans executivas que tem capacidade para 15 pessoas cada uma, um micro-ônibus e um veículo que é destinado para seguranças.

Apenas para realizar o transporte de bagagens e equipamentos do governo, foram necessários um caminhão-baú e dois furgões. A presidente na cidade de Roma durante o domingo (17) à tarde, e aproveitou para fazer visita a duas igrejas históricas.

Na segunda-feira (18) ela visitou uma exposição do pintor italiano Ticiano, e ficou reunida junto a José Graziano da Silva, ex-ministro do governo Lula, que é diretor-geral da organização da ONU para agricultura e alimentação (FAO) e junto ao presidente italiano, Giorgio Napolitano, que está no final de seu mandato.

Na terça-feira (19), Dilma esteve presente da missa inaugural do Papa Francisco e ficou reunida de maneira breve com Borut Pahor, presidente da Eslovênia que é um país da Europa que conta com aproximadamente dois milhões de habitantes. Ela também fez uma breve reunião junto da presidente Cristina Kirchner da Argentina, que não chegou a ser prevista e durou aproximadamente 15 minutos. O teor que foi conversado não chegou a ser revelado.

Nesta quarta-feira (20), Dilma teve uma reunião bilateral junto ao Papa Francisco durante a manhã e embarcou de volta ao Brasil.