Publicado em: quarta-feira, 23/07/2014

Dilma e partidos da coligação farão reunião para discutir sobre palanques estaduais

Dilma e partidos da coligação farão reunião para discutir sobre palanques estaduais Na noite dessa terça-feira (22), presidentes de partidos que formam a coligação da campanha da presidente Dilma Rousseff à reeleição se reunirão na residência oficial do Palácio da Alvorada para debater sobre ações que serão realizadas durante a campanha em relação aos palanques estaduais, entre outros assuntos.

Estarão presentes: Rui Falcão (PT), Michel Temer (PMDB), Ciro Nogueira (PP), Carlos Lupi (PDT), Gilberto Kassab (PSD) e Marcos Pereira (PRB). O presidente do PR, o ex-ministro dos Transportes Alfredo Nascimento também estava na lista, contudo, não poderá comparecer ao encontro e irá enviar um representante.

Na última segunda (21), grande parte de quem está na coordenação da campanha da presidente à reeleição, participou da reunião que aconteceu no comitê de Brasília, para idealizar medidas que serão tomadas no decorrer do período eleitoral.

De acordo com o presidente do PDT, Carlos Lupi, o partido não intermediará os pedidos à presidente, mas irá apresentar as propostas a serem incluídas na campanha, como os palanques a serem definidos nos estados.

Ele completa dizendo que a maior contribuição que o PDT pode fazer nesse momento é dar a campanha, será na coordenação do programa de governo e também na participação nas áreas setoriais juntamente com o comitê financeiro.

Lupi ainda ressalta que todos do partido querem ver como estão os palanques estaduais, voltar a afirmar a lealdade, assim como fazer um desenho nacional da campanha, para que possam auxiliar nas designações estaduais para aproximar a campanha com os partidos nos estados.

Unificar estratégias

Além de definir como os partidos irão agir na campanha. “A ideia, ainda, é unificar o discurso”, garante. Para o senador Ciro Nogueira, presidente do PP, a reunião dessa noite irá definir as atribuições de partidos, ele avalia que o encontro de Dilma e outros partidos que formam a coligação estreita ainda mais os elos entre as legendas e une estratégias.