Publicado em: sábado, 15/10/2011

Dilma defende mudanças no FMI para países emergentes

A presidente Dilma Rousseff, nesta sexta-feira, dia 14 de outubro, esteve presente no evento de assinatura do PAC da Mobilidade Urbana, na cidade de Porto Alegre. Durante a cerimônia, Dilma falou sobre as mudanças que devem ser feitas no Fundo Monetário Internacional (FMI) para atender os países emergentes.

Segundo a presidente, essas mudanças são necessárias para que esses países consigam novas ferramentas perante o organismo. Ela também acredita que os países emergentes têm papel importante no auxílio da crise europeia. Dilma Rousseff afirma que é preciso haver uma ampliação das cotas e participação na direção do FMI, assim, os países emergentes podem contribuir com o Fundo.

Dilma disse no evento há uma discussão permanente dos países, especialmente dos emergentes, sobre a direção, composição e participação no Fundo Monetário Internacional. A presidente afirma que o Brasil tem recursos aplicados no FMI e que é bem provável que o país consiga uma participação maior no organismo.

A presidente afirma que o país tem muita capacidade em superar os efeitos da crise que afetam a todos. Para Dilma, uma das principais maneiras de resistir a isso é o incentivo ao mercado interno. Segundo a presidente, de qualquer forma todos os países são atingidos pela crise devido ao baixo consumo em todas as áreas do mundo. Porém, o Brasil irá resistir, pois está equilibrando o crescimento.