Publicado em: sexta-feira, 11/04/2014

Dilma defende manifestação por reforma política

Dilma defende manifestação por reforma políticaNa última quinta-feira, dia 10 de abril, a presidente Dilma Rousseff, realizou uma reunião com a presença de 32 entidades de jovens. Ela chegou a dizer sobre a necessidade de uma grande mobilização como aconteceu no passado com o movimento Diretas Já.

A presidente ressaltou que só acontecerá uma verdadeira reforma política a partir do momento que houver uma manifestação jovem. De acordo com Severine Macedo, que é secretária nacional da Juventude, a presidente Dilma Rousseff consolidou sua posição a respeito da necessidade de uma reforma na área da política.

Dilma defende a elaboração de um plebiscito para saber o que a população brasileira pensa a respeito de uma reforma política. O governo destaca que o parlamento deve ampliar a questão e que a sociedade deve mostrar o que ela quer de mudanças.

Integrantes do movimento “Eu não mereço ser estuprada” estiveram presentes. A representante Nana Queiroz diz que Dilma deixou claro que a reforma política que tanto se quer fazer não depende de assinaturas, mas que gente saindo às ruas.

Outro movimento que marcou presença na reunião foi o Passe Livre do Distrito Federal. O representante do grupo, Cledson Pereira, diz que o fato de Dilma dizer que a mudança precisa surgir da sociedade é uma forma de o governo se ausentar do conflito, jogando a responsabilidade toda para a população. Na opinião dele, o próprio governo é que deve comprar briga.

Os organizadores dos “rolezinhos” mostraram também indignação. O representante MC Chaveirinho exigiu de Dilma Rousseff mais atenção à cultura. A ideia é construir mais espaços para disseminar a cultura em comunidades carentes.

No final da reunião, houve um comprometimento da presidência em analisar um projeto focado no combate ao estupro no meio familiar. De acordo com a jornalista Nana Queiroz, cerca de 80% dos casos que acontecem no Distrito Federal é por falta de diálogo na família. O projeto busca a capacitação de médicos nas unidades de saúde para que eles orientem as mães a perceberem sinais de abuso sexual.