Publicado em: terça-feira, 18/10/2011

Dilma defende fim das repressões na Síria em Fórum do Ibas na África do Sul

A presidente Dilma Rousseff pediu no Fórum do Ibas (grupo formado por Índia, Brasil e África do Sul), em Pretória, que sejam tomadas medidas imediatas para pôr fim às violentas repressões do governo de Bashar al Assad contra manifestantes que tentam tira-lo do poder. A presidente não fez nenhuma declaração direta se mostrando contrária ao governo, mas demonstrou postura mais decisiva em comparação a outros pronunciamentos sobre o assunto.

“Muito se fala da responsabilidade de proteger. Pouco se fala da responsabilidade ao proteger. Esta responsabilidade ao proteger foi objeto das iniciativas da África do Sul, da Índia e do Brasil. Na Síria, nós defendemos o fim imediato da repressão e encorajamos o diálogo nacional para lograr uma saída não violenta,” afirmou Dilma. A cidade onde o Fórum teve início é a capital da África do Sul, onde o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva dedicou boa parte do seu tempo.

O encontro do Ibas visa discutir pautas sobre a crise financeira global e as propostas que os três países devem apresentar na próxima reunião do G-20, agendada para novembro em Cannes, na França. Depois de participar do evento em Pretória, Dilma seguirá viagem a Moçambique e Angola, países de língua portuguesa.

O ex-presidente Lula realizou cerca de 12 viagens à África e teve a oportunidade de conhecer ao menos 30 países da região. A última viagem de Lula ao continente enquanto ainda era presidente foi a Moçambique. Lula defendia que deveriam investir na relação sul-sul e destacava a dívida que o Brasil tem com a África.