Publicado em: quarta-feira, 07/05/2014

Dilma defende economia e diz que renda cresceu para mais pobres

Dilma defende economia e diz que renda cresceu para mais pobresA renda dos mais pobres nos últimos doze anos aumentou, é o que afirmou a presidente Dilma Rousseff nesta terça-feira (6) durante uma cerimônia no Palácio do Planalto. Com o objetivo de lançar a terceira etapa do Plano de Aceleração de Crescimento 2 (PAC2), Dilma defendeu as ações de seu governo e do antecessor, o ex-presidente Lula.

Na última segunda-feira (5) a presidente já havia mencionado que a desigualdade social no país decaiu e, em contrapartida, a renda aumentou. Os dados apresentados levam os números obtidos através de uma pesquisa realizada em uma parceria do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e da Secretaria de Assuntos Estratégicos. De acordo com os números divulgados, houve uma um aumento da renda e da auto-estima dos brasileiros.

No entanto, a presidente da República disse que os dados obtidos não importam tanto, mas o estado atual do Brasil nos dias de hoje. Dilma disse que a renda aumentou em todas as áreas da sociedade, mas os mais atingidos com a melhoria foi a população mais pobre. Segundo Rousseff, o setor de serviços necessita de mais investimentos, uma vez que o crescimento da renda aumentou, mas o de serviços não.

Dilma afirma que nos últimos 20 anos o setor de vendas – sobretudo o de bens como máquina de lavar, fogão, TV, celular e computador, cresceu mais de 300%. No entanto, os serviços cresceram apenas 50%.

A terceira etapa do PAC 2 liberará R$ 2,8 bilhões do Fundo Nacional da Saúde (Funasa) a mais de 630 municípios, beneficiando 5,3 milhões de pessoas. A presidente afirma que estes investimentos serão imprescindíveis para que o setor de serviços volte a crescer. Além disso, o governo federal afirma que 92% das obras da primeira e segunda etapa do PAC2 foram concluídas.