Publicado em: quinta-feira, 22/09/2011

Dilma critica ação de países ricos em combate as crises

A presidente, Dilma Rousseff, não se fez de rogada no discurso mais importante, até agora, que realizou ocupando o cargo de maior autoridade do país. Ao abrir a Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), na quarta-feira, Dilma criticou a ação anticrise implantada pelos países ricos, baseada em cortes de gastos.

Segundo a presidente, em seu discurso, o desemprego só aumenta enquanto os governos se “encolhem”. Dilma apenas errou o número de pessoas sem emprego na Europa. Enquanto são 22,7 milhões, a presidente falou em 44 milhões de pessoas desempregadas nos países integrantes do bloco.

Como a tradição pede, é sempre o Brasil que faz o primeiro discurso da Assembleia. Porém, é a primeira vez que isso é realizado por uma mulher. E a presidente não deixou de dizer o quanto se sentia orgulhosa de viver aquele momento. Na fala, Dilma ainda disse que lamentava não poder saudar o “pleno ingresso da Palestina” na Organização, cobrando o reconhecimento do Estado.

Em um discurso de 25 minutos, a presidente fez algo que lembrou seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva: bater de frente com os países ricos. Dilma disse que é por falta de recursos políticos e nitidez nas ideias que os países desenvolvidos não encontram solução para a crise.