Publicado em: sábado, 20/08/2011

Dilma admite pela primeira vez que crise deve afetar o Brasil

Nesta sexta-feira, a presidente Dilma Rousseff afirmou pela primeira vez que é “óbvio” que os efeitos da nova crise serão percebidos no Brasil. Entretanto, ela garantiu que o governo irá atuar de forma para impedir a crise “na porta” e evitar maiores estragos.

“O objetivo central do meu governo é… garantir que, nesse momento, nós consigamos conter os efeitos perversos de uma crise que não fomos nós que criamos e que podem atingir o Brasil”, informou a presidente durante uma entrevista a uma emissora de rádio da cidade de São José do Rio Preto, no estado de São Paulo.

A presidente explicou que uma das metidas que será adotada para frear os efeitos da crise será a criação de empregos que devem estimular o desenvolvimento do país. Além disso, Dilma destacou a importância dos depósitos compulsórios dos bancos e as reservas internacionais como algumas das ferramentas que podem ser utilizadas pelo governo.

Na semana passada, Dilma havia comentado que o Brasil está em uma posição muito melhor comparada a que vivia durante a crise de 2008. “Em 2009, nós tomamos todas as medidas, o Brasil entrou na crise, tanto é que nós tivemos uma queda no PIB, mas… (nós) saímos em 2010”, disse. A presidente encerrou falando que a contenção a crise é difícil mas que o país irá tentar não aderir aos efeitos.