Publicado em: sexta-feira, 14/03/2014

Diamante encontrado no Brasil pode representar existência de água em abundância sob a crosta da terra

Diamante encontrado no Brasil pode representar existência de água em abundância sob a crosta da terraUm diamante encontrado no Brasil deve marcar o início de uma longa jornada em busca de água na Terra, mas dessa vez abaixo da crosta. Marrom e de aparência suja, ele não tem valor comercial, mas pode ter grande peso científico já que possui um mineral que tem quantidade significativa de água em sua composição.

Chamado de ringwoodite, esse mineral pode sinalizar a existência de imensas quantidades de água em uma região muito profunda do planeta, entre 410 e 660 km abaixo da superfície. De acordo com pesquisadores, ele é uma forma do mineral peridoto, e contém 1,5% de seu peso em água.

Para o cientista de diamantes Graham Pearson, da Universidade de Alberta, esta descoberta é uma comprovação de teorias antigas sobre a existência trechos úmidos no fundo da Terra, em uma região entre o manto superior e o inferior. Pearsons liderou uma pesquisa sobre o tema, publicada no periódico Nature. Ele ainda declarou que a chamada “zona de transição” da Terra, pode ter uma quantia de água equivalente ou até superior à soma de todos os oceanos do mundo.

Água aprisionada

Entretanto, não se deve criar a imagem de imensos oceanos líquidos nas regiões mais profundas do planeta, uma vez que toda essa água deve estar aprisionada em minerais, segundo cientistas. Esta é a primeira amostra de ringwoodite terrestre, já que o trabalho de campo em profundidades extremas é muito complicado. O mineral, entretanto, tem sido visto em meteoritos.

O diamante foi descoberto em 2008 no município de Juína, no interior do Mato Grosso do Sul. Formado nas profundezas do solo, ele chegou à superfície transportado por uma rocha vulcânica chamada de kimberlito, e foi localizado por mineradores entre o cascalho de um pequeno rio da região.