Publicado em: quinta-feira, 20/11/2014

Devido à crise Universidade de São Paulo prevê que orçamento só estará em equilíbrio em 2018

Devido à crise Universidade de São Paulo prevê que orçamento só estará em equilíbrio em 2018As diretrizes em relação ao orçamento da Universidade de São Paulo para o ano de 2015 receberam a aprovação do Centro Universitário, neste consta a previsão de que o valor que consta nas reservas da instituição irá sofrer queda e com isso encerrará o ano que vem com a metade do que tem atualmente, segundo o estudo o saldo negativo da Universidade de São Paulo no final do ano que vem será de R$ 845 milhões, enquanto o valor das reservas será de R$ 880 milhões, para este ano a instituição já tem um saldo negativo de R$ 1 bilhão, enquanto o saldo das reservas é de R$ 1.7 bilhão.

Em meio a todas essas expectativas a Universidade de São Paulo estima que o orçamento só estará em equilíbrio em 2018, quando a instituição conseguirá gastar menos do que recebe, para o próximo ano a instituição tem a expectativa de receber R$ 4.8 bilhões do Governo do estado de São Paulo, esta verba é referente a transferência de valores do ICMS, além disso para o ano que vem o gasto com folhas de pagamento da instituição deve ficar em R$ 5.08 bilhões e despesas com outros custos e capital deve ficar em R$ 600 milhões, está prevista para o próximo dia 9 uma reunião onde o novo orçamento da Universidade será votado.

Devido à crise financeira que se abateu na Universidade de São Paulo, um programa de demissões voluntárias de professores e servidores foi lançada, de acordo com o Reitor da instituição, Marco Antonio Zago, as reservas da USP devem estar estabilizadas no final do ano 2017 e também no início de 2018, Zago explica que com isso a instituição estará com 90% de comprometimento orçamentário com as folhas de pagamento de servidores e professores da instituição.

Nesta reunião foi aprovada também a venda de quatro imóveis de propriedade da Universidade de São Paulo, estando um localizado na Consolação, região central de São Paulo, um no Centro Empresarial de São Paulo, localizado em Santo Amaro, um em Bragança Paulista e um na Vila Clementino, estes dois provenientes de herança por abandono, na reunião também foi feito um acordo onde ficou decidido que as unidades e institutos da Universidade de São Paulo terão mais liberdade para realizar mudanças na estrutura curricular dos cursos de graduação da instituição.