Publicado em: quarta-feira, 27/06/2012

Desemprego se mantém estável pelo segundo mês, segundo pesquisa do Dieese e Seade

Segundo dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e também com auxílio da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), a taxa de desemprego manteve-se estável pelo segundo mês consecutivo, conforme dados coletados em todas as regiões do país. Entre o mês de abril e maio, a taxa que estava em 10,8% caiu para 10,6%. Como a queda foi de apenas 0,2% a pesquisa considera como período de estabilidade nas taxas. Segundo os dados, essa estabilidade é resultado da maior oferta de trabalho em três grandes cidades: no Distrito Federal (1%), Salvador (1,4%) e Porto Alegre (0,6%). No entanto, houve queda em Fortaleza (1,5%) e em Recife (5%). Em São Paulo e Belo Horizonte a variação foi quase insignificante na oferta de trabalho.

Serviço apresenta oferta de vagas enquanto comércio perde postos de trabalho

Sobre as áreas de serviço que mais ofertaram vagas neste último mês, destaca-se o setor de serviços, com 150 mil novas vagas e um crescimento de 1,4% em relação a abril. Já em setores como o comércio, a construção civil e a indústria houve queda na quantidade de postos de trabalhos oferecidos em maio. Só no comercio o corte foi de 96 mil vagas em relação ao mês anterior. Destaca-se ainda que o rendimento dos trabalhadores considerados como ocupados, incluindo os autônomos, aumentou em 0,7%, chegando a R$ 1.477. A pesquisa também apresenta dados sobre o desemprego, mas em função das diferentes metodologias utilizadas pelos dois institutos de pesquisa, o Dieese e a Fundação Seade, as taxas apresentadas quase sempre possuem algumas alterações. Uma das diferenças, por exemplo, é a exclusão de duas regiões na pesquisa feita pelo IBGE.