Publicado em: sexta-feira, 12/08/2011

Deputada do Amapá, Fátima Pelaes, acusada de receber dinheiro desviado do Ministério do Turismo

As investigações sobre as denúncias de corrupção contra o Ministério do Turismo levam a acreditar que a deputada Fátima Pelaes (PMDB-AP) era a beneficiada do esquema de desvio de verbas. Para conseguirem desvir o dinheiro vinculado ao Ministério, foram usadas Organizaçãos Não Governamentais (ONGs) como fachada. Além de provas acusarem a deputada, o dinheiro provavelmente teria sido usado para financiar a campanha eleitoral. As informações teriam sido prestadas por quatro suspeitos de envolvimento à Polícia Federal.

De acordo com o depoimento de um dos envolvidos, Errolflynn de Souza Paixão, que já foi sócio do Conectur, a deputada teria criado uma estrutura no Amapá que permitisse a transferência dos recursos públicos à sua conta. Além disso, Paixão afirmou que “a deputada tinha pedido para ele (Wladimir) apresentar uma entidade que pudesse receber o recurso da emenda para desenvolver um trabalho de qualificação do Turismo. E ele disse: ?Eu sei que a entidade pega o dinheiro e retorna para ela?.”

Em contrapartida, a deputada divulgou nota oficial na qual repudia as acusações prestadas contra ela. De acordo com o documento, Pelaes declara que os seus “sigilos bancário, fiscal e telefônico” estão à disposição para as investigações. Além disso, ela negou ter recebido dinheiro de empresas e nega que a responsabilidade de fiscalizar os recursos do Ministério seja sua.

Segundo Palaes, “fui a uma entrega no Oiapoque. Agora, não posso assegurar quais os valores destinados em cada curso e a qualidade dos serviços. Isso é uma função dos órgãos responsáveis.” A deputada afirma estar acompanhando o desenrolar das investigações.