Publicado em: terça-feira, 02/07/2013

Depredações para o Itamaraty custarão em torno de R$ 18 mil

Depredações para o Itamaraty custarão em torno de R$ 18 milA manifestação popular que houve há 11 dias, realizada em torno do Palácio Itamaraty em protesto na Esplanada dos Ministérios provocou algumas depredações que chegaram ao valor de 18.414,04 em reparos, sem somar outras despesas, como as que serão gastas para reformas necessárias para reestruturar esquadrias danificadas, fazer a limpeza do local e colocar seguranças extras para evitar que o caso ocorrido e os seus resultados se repitam.

Estes dados foram informados pelo Ministério das Relações Exteriores que informa que este será o gasto realizado apenas para repor as vidraças que foram quebradas, ao todo somaram 65 vidraças quebradas e com necessidade de reposição.

Ainda de acordo com os dados divulgados pelo Itamaraty, os cálculos realizados pelo Ministério apontam que para repor 53 destas vidraças comuns, que possuem seis milímetros de largura o valor será de 15.579,22 reais e para outras vidraças incolores que somam dez e possuem seis milímetros, o valor será de 2.129 reais. Ainda há a necessidade de fazer a reposição de mais duas vidraças, de vidro temperado fumê, estas com oito milímetros, sendo este o valor de 642,80 reais.

Palácio do Itamaraty e seu inestimável valor

O edifício do Itamaraty também sofreu pichações e o tampo de uma de suas mesas foi quebrado, este edifício que forma o Palácio do Itamaraty é uma das obras do arquiteto Oscar Niemeyer, uma das referencias dele em Brasília. Na área interna do Palácio conta com alguns exemplares de obras de arquitetura e ainda existem outras consideradas como obras de arte do patrimônio nacional, raras e originais, feitas por artistas consagrados.

Dentro do Palácio tem atuações de Alfredo Volpi, Athos Bulcão, Maria Martins, Roberto Burle Marx, Rubem Valentim e Sérgio Camargo. Felizmente nenhuma destas obras raras foi atingida no ataque ao Itamaraty, que é também chamado de Palácio dos Arcos.

O espelho de água em frente ao Palácio do Itamaraty sofreu invasão de manifestantes, que subiram sobre a escultura “Meteoro”, feita pelo artista Bruno Giorgi.