Publicado em: segunda-feira, 19/09/2011

Depois do terremoto, fortes chuvas atrapalham resgates no Himalaia

O terremoto de magnitude 6,9 que aconteceu no domingo, 18 de setembro, foi sentido a mais de 800 km e matou, pelo menos, 53 pessoas na Índia, Nepal e China. Nesta segunda-feira, soldados e equipes de resgate buscam sobreviventes nos vilarejos isolados na cordilheira do Himalaia em meio a fortes chuvas.

O tempo ruim está dificultando o trabalho das equipes de resgate. As nuvens densas impedem que helicópteros sobrevoem as áreas afetadas e as autoridades afirmam que o número de vítimas pode crescer. Com os caminhos para as montanhas bloqueados, os milhares de soldados enviados na missão devem chegara aos locais atingidos somente na terça-feira.

Segundo uma das autoridades da equipe de administração de desastres da ONU em Nova Délhi, a situação não parece nada boa e o número de vítimas fatais e feridos deve aumentar. Um morador da capital de Sikkim disse por telefone à Reuters que as pessoas estão em pânico e que no dia do terremoto, passaram a noite fora de suas casas.

Há quatro dias as chuvas não param de cair em partes de Sikkim e as temperaturas na zona onde ocorreu o terremoto estavam em aproximadamente 8ºC, podendo diminuir mais. Além da Índia, pelo menos sete pessoas morreram no Nepal e outras sete no Tibet.