Publicado em: segunda-feira, 17/03/2014

Depois de ter criticado o comandante-geral, PM confirma a saída do comandante do Bope do Rio

Depois de ter criticado o comandante-geral, PM confirma a saída do comandante do Bope do RioApós rumores de que o comandante do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), o tenente-coronel Fábio Souza, pode ser exonerado do cargo na segunda-feira (17), após ter criticado o comandante-geral da corporação, o coronel José Luis Castro Menezes, o fato é explicado pela Polícia Militar. A PM divulgou em nota e confirmou a saída do comandante alegando que é apenas uma “estratégia do comando”.

A ausência do oficial do cargo, foi ligada as críticas que ele fez. Desfazendo essa hipótese, a PM conta que o oficial assume o desafio de comandar outra unidade, onde a sua experiência que foi acumulada nos últimos dois comandos irá contribuir para o sucesso da nova missão, que será divulgada em breve, afirma. Na nota, eles também informaram que a mudança acontece constantemente na corporação. O patrulhamento da corporação nas comunidades do Alemão e da Penha tem sido intensos, ainda mais agora, após os ataques sofridos pelos criminosos, mesmo com as Unidades de Polícia Pacificadora (UPP), terem sidos instaladas há anos. Pontos que mais necessitam de reforço já estão ocupados pelas UPP nos dois complexos.

Ação

Segundo o comandante-geral da PM, o ‘cinturão’ de segurança já está formado nas duas comunidades, e todos os dias infelizmente recebe recados sobre os ataques feitos as unidades. Ele acredita que a presença do Bope no local, dá maior segurança, transmitindo um apoio operacional e até psicológico, e independente do que precisa ser feito, para garantir uma maior segurança, irá ser feito e executado, complementa dizendo, “é um momento de alteração da escala de alguns policiais.” Ainda acreditando que a presença do Bope é muito importante e será permanente na região, informou que foram recebidos R$50mil da parte do comando da PM afim de recuperar carros que estão inutilizados da Polícia Militar.