Publicado em: sexta-feira, 22/06/2012

Depois de quase 30 arrastões em SP, Alckmin lança programa de segurança

No dia em que a cidade de São Paulo atingiu o registro de 27 arrastões a bares e restaurantes, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) lançou o programa “Vizinhança Solidária”, que será implantado a partir de terça-feira (26) no bairro Itaim Bibi (zona oeste).

Em entrevista coletiva, Alckmin se limitou a apresentar o programa em linhas gerais. Ele aposta na colaboração da comunidade para combater a criminalidade na região. O governador afirmou que a polícia ainda trabalha na identificação das quadrilhas especializadas nos arrastões e disse que 30 pessoas já foram presas pelos assaltos e 14 deles foram esclarecidos.

Desde o início do ano, a capital paulista sofreu ao menos 27 arrastões a bares e restaurantes. Dois restaurantes foram vítimas de arrastões entre a noite de ontem (20) e a madrugada desta quinta-feira nas zonas sul e oeste de São Paulo. Ninguém foi preso pelos crimes. Sobre esses casos, Alckmin disse apenas que a polícia tenta identificar os suspeitos.

Segundo Roberval França, comandante-geral da Polícia Militar e responsável pelo “Vizinhança Solidária”, moradores e comerciantes do Itaim Bibi que quiserem aderir deverão participar de reunião em que serão orientados sobre ações de seguranças em suas casas e estabelecimentos. Também deverão assinar um termo de adesão e compromisso ao programa.

O programa pretende formar uma rede de comunicação entre os moradores, que poderão acionar a polícia caso percebam alguma atitude suspeita na casa de um vizinho ou mesmo nas ruas da vizinhança.

“Hoje, quem é que liga para o 190? A própria vítima. Nós mudamos o padrão nesse caso. O vizinho cadastrado também pode notificar a presença de pessoas suspeitas ou a ação contra vizinhos”, disse o comandante.

Além de formar essa rede de comunicação, policiais irão até os estabelecimentos e condomínios interessados para identificar pontos de vulnerabilidade do local e sugerir melhorias.

Segundo França, o cadastramento no programa é fundamental para que a polícia saiba que a denúncia informada é “legítima”. Para dar prioridade a esses casos, a polícia quer ter certeza de que não se trata de ligações de criminosos tentando despistar os policias.

O projeto foi implantado em caráter piloto há dez meses em 14 bairros de Santo André (Grande São Paulo). De acordo com França, em todos houve redução da criminalidade.

A ideia é que, após ser implantado no Itaim Bibi, o programa seja expandido para outros bairros de São Paulo. Não foram informados quais, nem quando isso pode ocorrer.

No ano passado todo ocorreram 87 arrastões na cidade. Para o secretário Antonio Ferreira Pinto (Segurança Pública), ladrões que antes atuavam em sequestros-relâmpago e ataques a caixas eletrônicos estão migrando de crime e assaltando restaurantes.