Publicado em: segunda-feira, 24/03/2014

Depois de problemas com estádio curitibano, estrutura de Porto Alegre coloca mais uma sede na berlinda

Depois de problemas com estádio curitibano, estrutura de Porto Alegre coloca mais uma sede na berlindaSe Porto Alegre (RS) se colocou à disposição da Fifa para receber jogos extras, durante o período em que a Arena da Baixada, em Curitiba (PR), agora o prefeito da cidade já admite que a capital gaúcha pode não ser apropriada para a realização nem sequer dos eventos próprios. José Fortunati, tem demonstrado preocupação com o avanço dos trabalhos no estádio Beira-Rio, para deleite dos torcedores gremistas.

O problema está nas estruturas temporárias, que não devem ficar prontas a tempo pela falta de verbas. Segundo o prefeito, só será possível viabilizar os trabalhos por meio de um projeto de lei, que tramita na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, e que oferece isenções fiscais para que empresas construam as estruturas temporárias.

De acordo com Fortunati, caso o projeto de lei não seja aprovado pelos deputados, não haverá solução para o que ele chama de gargalo da realização da Copa, e por consequência os jogos serão retirados de Porto Alegre. Não há, segundo ele, outra forma de buscar recursos, nem mesmo outro planejamento.

Sinal de alerta aceso

As chamadas estruturas temporárias são os espaços onde ficarão setores responsáveis pela tecnologia da informação, energia, informações, imprensa e segurança, por exemplo. Entre as despesas incluídas na construção desses espaços estão a compra de assentos e outros mobiliários, plataformas, cabeamento e iluminação, tendas, cercas e divisórias.

Para Fortunati, essa é a última grande pendencia que coloca a participação de Porto Alegre na CopaNo próximo dia 26, uma equipe da prefeitura vai ao Rio de Janeiro para uma reunião com o Comitê Organizador Local (COL), onde o impasse terá um início de resolução. A votação do projeto de lei tende a ser realizada nesta terça-feira (25). Segundo declaração do secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, as obras no Beira-Rio e na Arena Corinthians (SP) são os dois casos mais sérios, e que mais preocupam a Fifa nesse momento. Mesmo assim, Valcke acredita que tudo estará pronto até 12 de junho.