Publicado em: terça-feira, 06/09/2011

Depois das UPPs número de mortes cai 87,5% nas comunidades pacificadas

Mesmo com os recentes tumultos que aconteceram em algumas comunidades pacificadas no Rio de Janeiro, como no Complexo do Alemão e na Cidade de Deus, a presença das UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora) vem contribuindo para a redução das mortes em confrontos com as polícias, que são chamadas de autos de resistência. Um levantamento que foi divulgado nesta terça-feira (06) pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) revelou que nas localidades onde as UPPs estão instaladas a quantidade de autos de resistência caiu 87,5% entre os anos de 2008 e 2010.

Um exemplo claro dessa diminuição é o ocorrido na Cidade de Deus que foi pacificada e depois disso houve uma grande queda nos casos, em 2008 foram registrados 24 casos e em 2010 foram apenas 3. Este ano, por enquanto, dois casos já foram registrados.

Na área que faz parte do Batalhão do Estácio, que compreende as comunidades da Santa Tereza, Catumbi e Complexo do São Carlos teve uma queda de 72% nos casos de autos de resistência. Em 2008, 21 casos foram registrados pela polícia e em 2010 este número caiu para apenas seis e este ano nenhum caso foi registrado.

Já as comunidades que não foram ainda pacificadas pelas UPPs ainda sofrem com um grande índice de mortes em confrontos com a polícia. Só no Batalhão de Rocha Miranda somente nos seis primeiros meses deste ano já foram registradas 62 mortes. E no ano passado as mortes chegaram a 111 casos, e muitas outras comunidades estão registrando um aumento nas mortes devido a confrontos.