Publicado em: sábado, 02/06/2012

Demitidos e aposentados já podem migrar de plano sem nova carência

Os trabalhadores aposentados ou demitidos que quiserem manter o plano de saúde empresarial depois que deixar a empresa já pode optar por mudar para um plano de saúde individual sem precisar de nova carência, aquele tempo que o cliente do plano de saúde precisa esperar para poder realizar consultas, exames e tratamentos que fazem parte do plano escolhido.

Esta decisão, feita pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) aconteceu em novembro e começa a valer a partir de hoje, dia 1° de junho.

Antes, os trabalhadores demitidos sem justa causa ou aposentados podiam continuar com o plano de saúde empresarial depois de deixar o emprego, mas para isso acontecer eles precisavam ter contribuído com parte do seu pagamento e assumir, depois do desligamento da empresa, a mensalidade inteira. Essa alternativa é, muitas vezes, mais barata do que ter um plano de saúde individual.

Depois que se desligarem da empresa, os trabalhadores que tiveram sido mandados embora podem continuar com o plano por até dois anos, variando com o tempo de contribuição. Já os aposentados podem continuar com o plano empresarial se tiverem mais de dez anos de contribuição. Caso contrário, cada ano de contribuição equivale a um ano de cobertura.

Caso a pessoa escolha, no final desse tempo, migrar para um plano individual, pode ser que o tempo de espera para ter acesso aos serviços do novo plano tenha que ser respeitado.