Publicado em: segunda-feira, 23/04/2012

Delta continua a assinar contratos mesmo depois de denúncias

A construtora Delta, apontada como participante principal do esquema de corrupção envolvendo os cofres da União, que foi descoberto em agosto de 2010 pela Operação Mão Dupla, feita pela Controladoria-Geral da União (CGU) em parceria com a Polícia Federal (PF), continua assinando contratos com órgãos federais. Desde 2010, quando o governo viu as graves irregularidades cometidas pela empreiteira, já foram assinados 31 novos contratos com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). No total, esses contratos somam aproximadamente R$ 758 milhões.

A Operação Mão Dupla identificou que a empresa era a principal acusada de participação em fraudes em licitações, desvio de verbas, superfaturamento de obras, pagamentos de propina, além do uso de material de qualidade inferior ao contratado. Na mesma investigação outras 11 empreiteiras também foram acusadas pelas fraudes. Na época foram presos o superintendente do Dnit no Ceará, Joaquim Guedes Martins Neto, e o diretor da Delta, Aluízio Alves de Souza.

Segundo a CGU, as fraudes deram um prejuízo de pelo menos R$ 5 milhões aos cofres públicos, além dos problemas com as obras que foram executadas de forma incorreta e com materiais de má qualidade. Mas mesmo com essas constatações, o Dnit fez novos contratos com a Delta, incluindo três no estado do Ceará. Trata-se da conservação das BRs 116, 437 e 230 que cortam o estado. Além desses, outros contratos são para construção e manutenção de rodovias em mais 17 estados.

A empreiteira voltou a ganhar destaque devido às descobertas de ligação da empresa com o bicheiro Carlinhos Cachoeira, preso pela PF no começo de 2012 na Operação Monte Carlo. Segundo a CGU será aberto um processo administrativo e, dependendo do resultado, a Delta poderá ser considerada inidônea, não podendo mais fazer contratos com órgãos federais. Dos contratos firmados desde 2010, apenas um foi interrompido, no entanto o Dnit já pagou R$ 8,8 milhões à empreiteira.