Publicado em: quinta-feira, 20/10/2011

Delator do caso do Esporte afirma que arquivo de áudio “vai ser o nocaute”

O policial militar delator do suposto esquema de corrupção dentro do Ministério dos Transportes, João Dias Ferreira, declarou durante depoimento à Polícia Federal que vai entregar provas que dão validade às acusações sobre a existência de um epicentro de desvio de verbas dentro da pasta, o qual seria orquestrado pelo ministro Orlando Silva. De acordo com Dias Ferreira, o esquema envolveria cerca de 20 pessoas, incluindo integrantes do PCdoB, representantes de empresas e de ONGs de fachada.

O depoimento de Dias Ferreira durou mais que sete horas e ao sair do prédio da PF, o policial confirmou que reiterou suas acusações e apresentou provas que as sustentam. A revista Veja publicou a reportagem com a entrevista que acusa Silva de envolvimento em desvio de verbas destinadas ao programa Segundo Tempo, cujo objetivo é incentivar jovens e adolescentes a praticarem esportes. Dias Ferreira defende que Silva recebeu dinheiro ao conseguir liberação de verbas do governo para organizações.

Mesmo sem ter dado detalhes sobre as provas que entregou à Polícia Federal, Dias Ferreira garante que os arquivos de áudio vão ser o “nocaute” para derrubar Silva. Tais arquivos devem ser entregues à PF na próxima segunda-feira (24). Além das gravações, o PM afirma que estre as provas estão prestações de contas e relatórios de fiscalização fraudados e com datas falsas.

Em depoimento ao Senado, Silva negou as acusações e afirmou que o caso surgiu sem a apresentação de nenhuma prova. O ministro desafiou que tais evidências que o incriminam sejam apresentadas e abriu mão dos seus sigilos às investigações.