Publicado em: terça-feira, 19/07/2011

Delator do caso das escutas telefônicas encontrado morto na sua residência

Repórter responsável pelas denúncias que desencadearam o escândalo dos grampos telefônicos do tablóide News Of The World, Sean Hoare, foi encontrado morto nessa segunda-feira (18) na sua casa. O jornalista foi quem deu as entrevistas ao jornal The New York Times e à BBC de que as escutas ilegais aconteciam e que o ex-assessor de comunicação do premiê britânico, Andy Coulson, tinha conhecimento e incentivava as práticas. Hoare foi demitido da empresa por ter apresentado problemas com drogas e álcool.

Mesmo no meio das circustâncias desencadeadas pelas informações prestadas por Hoare, a polícia afirmou que está investigando o caso como uma morte “não suspeita”. Antes de confirmarem a identidade do corpo encontrado, a polícia local divulgou um comunicado dizendo “a morte está sendo tratada agora como sem explicação, não como se fosse suspeita. As investigações policiais sobre este incidente seguem em curso.”

O serviço que Coulson prestava ao primeiro-ministro, David Cameron, começou em 2007, antes mesmo de Cameron ocupar seu cargo atual. Naquele momento, Coulson foi nomeado chefe de imprensa, mas foi afastado esse ano após o crescimento das acusações das escutas ilegais praticadas pelo jornal da empresa News Corp.

Inclusive, o motivo para Coulson deixar o jornal que chefiava foi por ter acontecido a primeira prisão de um dos repórteres por causa das escutas ilegais. O ex-assessor saiu do NOTW em 2007, sendo que logo em seguida passou a trabalhar com o premiê. Agora, Coulson defende que não tinha conhecimento a respeito das práticas ilegais praticadas dentro do jornal para conseguirem informações exclusivas.