Publicado em: sexta-feira, 07/12/2012

Delator diz que Sarney ajudava em esquema de pareceres

Delator diz que Sarney ajudava em esquema de pareceresO ex-auditor Cyonil Borges, que delatou o esquema de venda de pareceres para órgãos federais, afirmou que o presidente do Senado Nacional, José Sarney (PMDB-AP), usou a influência que tem para interesses da organização sobre o Tribunal de Contas da União (TCU). Em denúncia que enviou para o Ministério Público Federal (MPF), ele fez o realto de que o ex-diretor da Agência Nacional de Águas (ANA) Paulo Vieira conseguiu mudar uma tramitação de um processo favorável à empresa Tecondi depois que acionou o senador, Sarney nega.

Conforme o inquérito na Operação Porto Seguro, Vieira fazia lobbies no TCU que visavam beneficiar a Tecondi em auditoria que iria discutir irregularidades em contratos para arrendamentos nas áreas do Porto n. Confome a Polícia Federal (PF) diz, o ex-diretor fez o oferecimento de R$ 300 mil em propina para que Cyonil fizesse a elaboração favorável para a empresa.

No ano de 2007, o ex-auditor foi contrário que a Tecondi permanecesse no porto da cidade. Este processo foi enviado para o gabinete do relator Marcos Vinícius Vilaça, que hoje está aposentado.

Nos anos de 2008 até 2010, Vieira operou de maneira que o TCU fizesse a determinação de uma nova inspeção pela Secretaria de Controle Externo (Secex), na cidade de São Paulo. Com esta atitude, houve uma chance que outro parecer, fosse elaborado, dessa vez favorável à empresa.

Durante a representação, em 15 de fevereiro de 2011, Cyonil relatou ter tido conversas com Vieira, em que o ex-diretor citou o senador. Depois do senado ter rejeitado, Vieira teve sua nomeação para a diretoria da ANA feita depois de uma manobra realizada por José Sarney.

Vilaça foi relator do o processo até o mês de junho de 2009, data em que ele se aposentou. Nos seis primeiros meses daquele ano, o ministro fez envio do caso para São Paulo para que técnicos pudessem se pronunciar sobre informações que o Ministério Público e a Companhia Docas de São Paulo (Codesp) que tem responsabilidade no porto apresentaram.