Publicado em: sexta-feira, 21/02/2014

Del Nero crê em punição à Portuguesa caso equipe vá à Justiça Comum

Del Nero crê em punição à Portuguesa caso equipe vá à Justiça ComumO vice-presidente da Confederação Brasileira de Futebol e presidente da Federação Paulista de Futebol, Marco Polo Del Nero, afirmou nesta sexta-feira que a Portuguesa deve ser punida caso a equipe vá até a Justiça Comum em busca de sua permanência na Série A do Brasileirão.

Punição provável

Quando questionado sobre a possibilidade de a FIFA punir a Portuguesa de alguma maneira, Del Nero afirmou que a punição é “provável”. O dirigente afirmou que a recomendação para todas as equipes é o cumprimento da Justiça Desportiva, que deve ser suficiente para resolver questões relacionadas ao esporte.

Del Nero acredita que Ilídio Lico, presidente da Lusa, tem consciência deste fato, mas está pressionado pelas manifestações realizadas pelos torcedores da Lusa. Além de ser uma recomendação da FIFA, o respeito à Justiça Desportiva também está presente no estatuto da CBF. As declarações do dirigente foram dadas em Florianópolis, onde Del Nero participou da reunião do conselho gestor do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo.

Procedimento

A FIFA costuma ser rigorosa com equipes que não se contentam com as decisões da Justiça Desportiva e partem para ações na Justiça Comum. O procedimento padrão da entidade máxima do futebol é, inicialmente, notificar a equipe com uma advertência por escrito. Caso a ação seja mantida, a entidade pode aplicar multas e, em último caso, cancelar a filiação da equipe.

Em caso de desfiliação, a Lusa ficaria impedida de participar das competições promovidas pela CBF. Ou seja, a equipe não poderia disputar qualquer divisão do Campeonato Brasileiro, além da Copa do Brasil. Embora esta seja uma punição extrema, não é impossível que o caso chegue a este ponto.

Decisão

Na última terça-feira, após alguns dias tranquilos, dirigentes da Portuguesa se reuniram para decidir finalmente se a equipe entraria na Justiça Comum contra as decisões do STJD ou se disputaria a Série B do Brasileirão sem mais questionamentos. A reunião, que contou com dirigentes da Lusa e membros do Conselho Deliberativo, teve como resultado uma votação unânime para que a equipe vá à Justiça Comum.

Esta é a última tentativa possível para a Lusa continuar na primeira divisão do Campeonato Brasileiro em 2014. A equipe sofreu duas derrotas no STJD, ambas por votação unânime. Após a confirmação da equipe na segunda divisão, alguns torcedores conseguiram liminares que mantinham a Lusa na elite do futebol brasileiro. Contudo, seguindo exigências da FIFA, a CBF se apressou em cassar todas estas liminares.

Ao mesmo tempo em que a Portuguesa dá suas últimas cartadas para tentar permanecer na primeira divisão, o Ministério Público de São Paulo analisa se funcionários da Lusa foram responsáveis pelo desencontro de informações que culminou na escalação de Héverton na última rodada do Campeonato Brasileiro. Héverton estava suspenso e, por ter entrado em campo, a Lusa foi punida com a perda de quatro pontos, sendo rebaixada para a Série B. A situação do atleta foi o que desencadeou toda a disputa judicial, que ainda parece longe de terminar.