Publicado em: segunda-feira, 15/07/2013

Defesa de Dado Dolabella tentará provar que Luana Piovani estava drogada

Defesa de Dado Dolabella tentará provar que Luana Piovani estava drogadaTudo indica que os advogados do ator Dado Dolabella vão mesmo tentar comprovar para a Justiça de que a atriz Luana Piovani estava mesmo sob o efeito de maconha no momento em que acabou sendo agredida pelo artista, no ano de 2008, em meio á boate 00, localizada na Gávea. O colunista Léo Dias acabou tendo acesso á todo o processo onde está constando o nome de uma testemunha que é mesmo um amigo em comum de Dado e de Luana e que vai dar o seu depoimento novamente afirmando o que esta nos autos do processo.

A mesma testemunha já foi apresentada a primeira vez pela defesa de Dado em algumas das audiências passadas. Na época da acusação, o juiz acabou perguntando como ela ficou sabendo que aquilo era mesmo um cigarro de maconha e a testemunha acabou respondendo que a atriz estaria pegando o cigarro muito apertado com o “polegar e com o indicador e que esta é uma maneira muito diferente de como se pega um cigarro normal”. O maior objetivo da defesa de Dado é a desqualificação do depoimento da atriz, que naquela hora da noite estaria sob o efeito do entorpecente.

A nova estratégia dos advogados não passa de um reflexo das decisões que foram tomadas nos últimos dias, no momento em que o Tribunal de Justiça da cidade do Rio de Janeiro (TJ-RJ) tomou a decisão de anular a grave condenação de Dado e, pouco menos de uma semana depois, o Ministério Público do estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) acabou informando que iria recorrer desta decisão, afirmando que pretenderia enquadrar a agressão dentro da Lei Maria da Penha.

Dado já havia sido condenado depois desse caso á dois anos e mais nove meses de reclusão, mas em regime aberto, no 1º Juizado de Violência Doméstica Familiar. Todavia, esta última decisão do TJ-RJ acabou argumentando que Luana, que foi a grande vítima de tudo isso, “jamais foi mulher oprimida ou até mesmo uma mulher que era subjugada á todos os caprichos do homem”.