Publicado em: sexta-feira, 12/08/2011

Custo do Enem é para três edições, diz Haddad

O ministro da Educação, Fernando Haddad, informou nesta quinta-feira (11) que o gasto de R$ 372 milhões, previstos para ser gastos com a aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), será para três edições. Este ano haverá uma e no ano que vem haverá duas”, disse Haddad durante o lançamento do programa de educação profissional para mulheres no Ministério da Educação.

O Inep afirmou nesta quarta-feira (10) que o valor do Exame se refere ao teto de investimentos que poderão vir a ser feitos na realização de duas ou mais edições do exame no prazo de 12 meses. As ordens de serviços de valores efetivamente pagos serão liberadas de acordo com a demanda de inscritos e a quantidade de edições realizadas”.

O valor foi publicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira para a contratação da Fundação Universidade de Brasília (FUB), que será a responsável por aplicar o Enem nos próximos 12 meses. A FUB irá aplicar o Enem por meio do consórcio entre Cespe e Fundação Cesgranrio.

O Enem conformou a realizado do Enem deste ano, nos dias 22 e 23 de outubro e outra em 28 e 29 de abril de 2012. Haddad não soube dizer o gasto previsto para cada uma das provas. Ele informou apenas que o curso por aluno é de cerca de R$ 40 a R$45, incluindo todos os gastos. O Enem tem o custo mais baixo do que qualquer outro vestibular. Ele gira em torno de R$ 40 a R$ 45 por aluno inscrito, portanto é a metade do que cobram as universidades nas suas taxas de inscrição. Então, quando vocês forem comparar o Enem com qualquer outro processo seletivo, comparem com o que é cobrado pelas outras universidades. Quando vocês fizerem essa comparação, vocês vão chegar à conclusão óbvia de que o custo do Enem é bastante baixo”, explicou.