Publicado em: segunda-feira, 16/04/2012

Cúpula das Américas termina com impasse sobre Cuba

O encontro da Cúpula das Américas terminou ontem sem nenhuma declaração final. Os presidentes, na sua maioria, já retornaram aos seus países. Depois da forte oposição dos Estados Unidos, Barack Obama ficou isolado no evento. Os demais países são contra as sanções impostas pelos EUA a Cuba. Segundo o presidente colombiano Juan Manuel Santos, anfitrião da Cúpula, o evento não resultou em declaração, pois não houve consenso entre todos os países. Os rumores de que a reunião fracassou fez com que o presidente minimizasse a situação dizendo que diferentes pontos de vistas representam a democracia na região.

Não satisfeita com o resultado o evento, Dilma Rousseff antecipou sua volta ao Brasil e cancelou a reunião que teria com o presidente colombiano. Em nota, o Palácio do Planalto disse que o retorno mais cedo aconteceu para evitar cansaço da presidente. Com a antecipação ela chegou mais cedo ao país. O evento mostrou mudanças desde 2009, quando a última cúpula havia ocorrido em Trinidad e Tobago. Obama tinha acabado de ser eleito e, ao chegar ao evento, foi recebido como uma estrela de rock. Ao contrário, desta vez o presidente foi alvo de insatisfações. O primeiro problema foi com a delegação de Obama, que foi pega em um grande escândalo de prostituição.

Presidente dos Estados Unidos passa por saia justa no evento

O problema do presidente americano foi tema inesperado do evento e todos se manifestaram. Segundo Rodolfo Galvis, guia turístico de Cartagena, pessoas que servem a segurança do presidente dos EUA não devem cometer o erro de se envolver com prostitutas. Segundo o guia, isso prejudicou a imagem dos EUA e não da Colômbia. O problema ocorreu antes da chegada do presidente, quando 16 pessoas foram enviadas de volta aos EUA depois de quase obrigarem uma prostituta a ir até o hotel onde estavam.