Publicado em: segunda-feira, 20/05/2013

Cruzeiro vence no Mineirão, mas Atlético-MG fica com o título

Cruzeiro vence no Mineirão, mas Atlético-MG fica com o títuloA missão impossível quase se tornou realidade na tarde de ontem (19), pela final do Campeonato Mineiro de futebol de Minas Gerais (MG). O Cruzeiro vinha de derrota, por 3 a 0 na primeira partida, mas contava agora com o fator casa. Dagoberto foi o destaque cruzeirense, com dois gols ainda no primeiro tempo. Ronaldinho Gaúcho, mesmo com rendimento abaixo, foi o algoz do rival, com o gol da misericórdia atleticana. Foi o 42º título do estadual.

Mais de 40 mil torcedores lotaram o Mineirão. Da arquibancada, vieram os gritos que empurraram a equipe celeste. No Cruzeiro, ninguém admitia a derrota antecipada. Todos ao ataque. Nos primeiros 20 minutos, Gilberto Silva faz falta na entrada da grande área em Dagoberto: pênalti! Ele mesmo cobra e faz, sem chances para o goleiro Victor.

Aos 33, é a vez de Richarlysson. Ele faz a penalidade máxima, em entrada boba no atacante cruzeirense Borges. O lance não dá margem de dúvida para o trio de arbitragem. A torcida atleticana começa a roer as unhas. Dagol, de novo! Bola no fundo das redes. Festa azul e branco. A primeira etapa foi só Cruzeiro.

Poucas vezes o time alvi-negro havia chegado ao ataque. A postura atleticana teria que mudar para que os visitantes permanecessem em vantagem. E foi o que aconteceu. O técnico Cuca deve ter chacoalhado os atletas no intervalo.

Aos 30 da etapa final, o lateral esquerdo cruzeirense erra no passe e entrega para o atacante Luan. O jogador do Atlético entra na área e é empurrado. O juiz marca. Água no chope da celeste. Ronaldinho marca de pênalti e comemora muito. Na celebração, faz o bonde e, em seguida, simula jogar uma granada na torcida adversária. Comédia pura na performance teatral do R10.

Houve tempo para expulsão de Luan (do Atlético), após entrada dura em Dagoberto, e briga aos 44. O ex-palmeirense Luan, reserva no ataque cruzeirense, entra em campo aceita provocações. Teria sido expulso, não fosse a ação preventiva dos companheiros.

E o choro foi azul. Apesar da boa atuação de Dagol e Borges, o Cruzeiro não consegui fazer mais dois gols nos últimos 15 minutos e acréscimos. Campanha impecável do Atlético, que motiva o time para as quartas de final, contra o Tijuana do México, pela Libertadores, na quinta-feira (23). Na quarta, o Galo enfrenta o Resende, em jogo de volta pela Copa do Brasil.