Publicado em: quarta-feira, 04/01/2012

Cristina Kirchner deve ser operada para retirar tumor

Nesta quarta-feira, dia 4 de janeiro, a presidente da Argentina Cristina Kirchner passará por uma cirurgia para a retirada de um tumor no lobo direito da tireoide, que foi diagnosticado em dezembro de 2011. A líder argentina permanecerá afastada de suas funções durante 20 dias. Neste período, o vice Amado Boudou assumirá as atividades presidenciais.

O médico oncologista, Santiago Zund, que faz parte da equipe que trata da presidente, disse que o prognóstico é “positivo”. A cirurgia deve acabar entre duas a três horas e, depois disso, Cristina Kirchner, de 58 anos, deve permanecer repousando por 72 horas.

De acordo com o médico Zund, depois do processo cirúrgico, a presidente argentina pode se recuperar totalmente, pois os exames iniciais apontaram que não já metástase, ou seja, a doença não se espalhou. A cirurgia de Cristina Kirchner será realizada no hospital Austral, localizado na cidade de Pilar, uma província da capital Buenos Aires.

Cristina Kirchner foi reeleita a presidência da Argentina em outubro de 2011, com 54% dos votos. Ela foi primeira-dama do país nos anos 2003 a 2007, e se candidatou após a morte a morte de seu marido, Néstor Kirchner, em outubro de 2010. Desde a morte de Néstor, Cristina teve o apoio popular do eleitorado cada vez maior.

Ela é a quinta líder de um país Latino Americano a começar um tratamento contra o câncer. Antes dela, Hugo Chávez, presidente da Venezuela, retirou um abcesso; o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ainda faz tratamento contra um tumor na laringe, Fernando Lugo, do Paraguai, teve câncer no sistema linfático, assim como a presidente do Brasil, Dilma Rousseff.