Publicado em: sexta-feira, 22/07/2011

Crise na Líbia: Kadafi não considera renunciar da liderança do país para cessar conflitos

Mesmo com os conflitos que vem acontecendo em diversas cidades da Líbia, o presidente e ditador Muamar Kadafi afirmou que não cogita negociar com os rebeldes para que seja viável renunciar do seu cargo. O líder líbio se pronunciou por meio de uma transmissão de rádio veiculada para milhares de ouvintes nessa quinta-feira (21), é transmitida na sua cidade natal, Sirte, onde o presidente conta com simpatizantes do seu governo.

De acordo com o chanceler do regime líbio, Abdelati Obeidi, a perspectiva que se pretende discutir é entrar em um acordo para por um fim à guerra que vem destruindo o país internamente. O ministro afirma que eles esperam que a iniciativa venha da União Africana (UA) para que não haja mais sangue derramado por conflitos entre rebeldes e governistas. Porém, Obeidi garante que a renúncia de Kadafi não é cogitada.

Ao lembrar que a UA já ofereceu a proposta de um cessar-fogo, que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) teria garantido encerrar os bombardeios ao país e que todas as partes envolvidas no conflito estavam dispostas a fechar um acordo, Obeidi defende que “a Líbia acolhe favoravelmente qualquer papel que a Rússia possa desempenhar na solução pacífica do conflito. É preciso encontrar uma solução conveniente para todos os líbios, incluindo a oposição de Benghazi.”

O ministro teria se manifestado a respeito das discussões sobre a renúncia de Kadafi após surgirem os boatos de que teria acontecido uma reunião para entrar em acordo quanto ao afastamento do presidente líbio. O conflito completou cinco meses de duração.