Publicado em: quarta-feira, 18/07/2012

Criminoso nazista mais procurado do mundo é preso em Budapeste

O húngaro Laszlo Csatary, de 97 anos de idade, foi preso nesta quarta-feira, 18 de julho, em Budapeste. Ele é o criminoso de guerra nazista mais procurado em todo o mundo e foi localizado através do centro Wiesenthal. O anúncio da prisão foi feito pela procuradoria da capital da Hungria.

A prisão de Csatary foi feita pela polícia ao amanhecer e foi feita em um terceiro apartamento mantido pelo criminoso, local que não era conhecido pela imprensa, disse o promotor Tibor Ibolya durante a entrevista coletiva dada após a prisão do criminoso nazista

Csatary, que tem seu nome de registro como Laszlo Csizsik-Csatary, foi interrogado por conta de acusações de crimes de gerra e declarou ser inocente, de acordo com a promotoria.

O promotor Tibor Ibolya disse durante a entrevista que Csatary nega ser culpado dos crimes pelos quais ele está sendo acusado. Em sua defesa, o criminoso diz que estava obedecendo ordens quando cometeu os supostos crimes. Por conta da gravidade dos crimes dos quais ele é acusado e também por conta da sua idade e sua saúde, ele pode ser mandado para casa pelo juiz, pelo menos num primeiro momento. No entanto, caso isso aconteça, o seu passaporte será confiscado.

Csatary era o chefe policial de uma vila judia da cidade eslovaca de Kosice. Neste local, mais de 15 mil judeus foram mortos ou então levados para campos de extermínio na Polônia quando a Alemanha nazista ocupava o país, que na época era a Tchecoslováquia.

Há pelo menos 17 anos, Csatary morava em Budapeste usando a sua verdadeira identidade, Mesmo com seus antecedentes criminais sendo conhecidos. De acordo com os arquivos que dão conta dos antecedentes do criminoso, ele tratou de forma cruel os judeus que viviam no gueto, além de ter espancado mulheres e as obrigada a cavar trincheiras com as próprias mãos. No ano de 1948 ele foi condenado à morte, mas fugiu para o Canadá, onde vivia com uma identidade falsa. Somente em 1995 sua verdadeira identidade foi descoberta, mas nessa altura ela já havia fugido para a Hungria.