Publicado em: quinta-feira, 15/03/2012

Crianças podem ter novo tratamento contra o vírus HIV

As crianças que fazem tratamento contra o HIV terão uma nova chance com a criação de um novo antirretroviral infantil. Ele será utilizado em crianças com até 13 anos e pode ser administrado de maneira mais simples. O novo medicamento está em fase de desenvolvimento há pelo menos três anos pela Farmanguinhos, que faz parte da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Os cientistas brasileiros estão prevendo que o medicamento fique pronto até 2015. Depois de seis meses começarão os testes em humanos nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Serão seis centros de pesquisa que farão o acompanhamento dos pacientes. Hoje as crianças precisam tomar três comprimidos ao dia e todos possuem um gosto amargo que dificulta a ingestão. Com a nova criação será apenas um ao dia e com um sabor adocicado e que pode ser dissolvido em água para ingerir.

Marli Melo da Silva é uma das farmacêuticas que coordena o estudo. Ela pertence ao Departamento de Pesquisas Clínicas da FioCruz e diz que o novo medicamento que está sendo criado vai auxiliar o tratamento pois facilita o uso, o transporte, o armazenamento e a produção.

Além disso, terá custos mais reduzidos na produção. Segundo Silva, esse medicamento tem várias vantagens, mas a principal dela é que podendo ser dissolvido em água ele não perde seu princípio ativo. Em muitos casos, por serem remédios de adultos, é preciso dividir o comprimido e isso pode ser prejudicial para o tratamento em crianças. A diferença na dosagem varia porque depende do peso, da idade, entre outros fatores.

Brasil tem muitas crianças em tratamento contra o HIV

Informações divulgadas pelo Ministério da Saúde mostraram que nas últimas três décadas o país registrou cerca de 14 mil casos da doença em menores de 13 anos. Hoje, o ministério estima que são mais de 4 mil em tratamento, mesmo sem haver um medicamento específico para crianças. O número de crianças infectadas diminuiu nos últimos anos, mas se considerarmos o mundo todo, são cerca de 2,5 milhões de crianças e adolescentes com o vírus HIV que serão beneficiados com a chegada do remédio até 2015.